sábado, 24 de janeiro de 2015

PLANALTINA/GO


   CRIME 

   Fonte texto: Correio Braziliense/Correio Web.

                                                                                                                              Imagens/Kaká.

Homem preso em Planaltina de Goiás é suspeito de estelionato

Detido por porte ilegal de arma, Eliaquens de Sousa Santos pode fazer parte de uma quadrilha que lesou diversas instituições bancárias


Um homem preso ontem, 23/01, em Planaltina do Goiás, pode fazer parte de uma quadrilha de estelionatários que aplicava golpes em instituições bancárias em diversos estados do Brasil. Por volta das 23h, Eliaquens de Sousa Santos foi encontrado em um veículo portando R$ 7 mil em espécie e uma pistola calibre 380. De acordo com o delegado Cristiomário Medeiros, no momento da abordagem, o acusado estava com um notebook ligado no programa de mensagens Skype, em uma conversa sobre bens bancários, o que causou desconfiança nos policiais.

 

A partir do celular de Eliaquens, a polícia conseguiu chegar até a casa onde estava o casal com quem ele conversava — os nomes não foram divulgados pela polícia, mas eles foram indiciados pelo crime de estelionato. “Também localizamos um comerciante da cidade que se encontraria com Eliaquens e estava portando R$ 2,6 mil”, garante Cristiomário. A suspeita é de Eliaquens e o casal façam parte da quadrilha de estelionatários. Segundo o delegado, o golpe consistia em pegar boletos de cobrança de comerciantes e pagá-los usando contas de laranjas. O grupo recebia 60% do valor da dívida e pagava o total usando essas contas. 


A apuração inicial deu conta que Santander, Banco do Brasil e BRB possam estar entre as instituições financeiras lesadas com o golpe. “Ainda estamos investigando se há outras. Na segunda-feira, vamos entrar em contato com os bancos para que eles possam ajudar com a investigação”, afirma Cristiomário. Na casa onde o casal foi encontrado, haviam três veículos: um Ford Fusion, uma Chevrolet S-10 e um Hyundai Azera. “O Azera está financiado em nome de um falecido. Na casa, também encontramos um CNPJ no nome da mesma pessoa, que morreu vítima de homicídio. Vamos também investigar se a quadrilha não está envolvida nesse crime”, frisa o delegado.


Além do dinheiro, foram apreendidos na casa dois notebooks, duas TV’s de plasma, vários aparelhos eletrônicos, cheques em branco, além de artigos de grife, em um total próximo dos R$ 150 mil. “Havia também uma pequena quantidade de maconha e cocaína.” Cristiomário acredita que os envolvidos tenham ramificações em outros estados, como São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Apesar das acusações, somente Eliaquens de Sousa Santos foi preso, acusado de porte ilegal de arma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário